Quero morar na Inglaterra. E agora?

O assunto de hoje é algo que está sendo debatido mundialmente e algo que temos recebido com muita frequência aqui no blogue e em nossos blogues pessoais. O movimento de pessoas entre fronteiras, a famosa imigração. A imigração ilegal existe e sempre existiu, mas é algo que você nunca vai me ouvir defendendo e que deve, sim, ser combatida. Viver sem documentos faz com que as pessoas vivam com medo, faz com que uns se aproveitem de outros, e que o indocumentado sempre esteja fugindo das autoridades, submeta-se a empregos com muitas horas de trabalho – para não dizer trabalho escravo – e que muitas vezes não são pagos, e nada podem fazer com medo de serem denunciados e deportados. Eu tenho sempre em mente que viver em seu país, com todos os documentos e todas as ‘regalias’ de cidadão já é difícil e desafiador, imagina viver sem documentação? Algo que não recomendo.

Pois então, recebo muitas perguntas aqui no blog sobre formas de vir morar na ilha da monarquia britânica. Sendo assim, resolvi escrever um pouco sobre as possibilidades de vir morar por aqui de forma legalizada, com seus direitos e deveres garantidos.

Como residir de forma legal no Reino Unido?

Uma das formas mais fáceis, por enquanto, é ser cidadão de um país da União Europeia. Um cidadão da União Europeia ou do “Espaço Econômico Europeu (país que tenha acordos assinados com o livre movimento entre países do bloco), pode residir e ter todos os seus direitos e deveres garantidos. Não tenho a menor ideia do que irá acontecer a partir de agora que começou a contar o tempo de saída do país do bloco – e só esperando para ver o que será feito e quais os futuros passos que serão dados para os cidadãos da União Europeia – mas, até segunda ordem, está valendo o que foi acordado antes.

O cidadão europeu tem direito a trazer sua família direta (filhos e parceiros) para residir no Reino Unido através do EEA family permit, assim:

Se o cidadão europeu tiver interesse de possuir um cartão de residência, clique AQUI para saber como fazer, mas esse cartão não é necessário devido às regras da União Européia e o livre movimento entre os signatários do bloco.

Family permit – Visto com duração de 6 meses para entrada no país e deve ser requerido fora do Reino Unido – clique AQUI.

Residence card – Visto com duração de 5 anos para o familiar do europeu – clique AQUI.

Permanent residence card – Visto para residir permanentemente onde reside após os 5 anos – Clique AQUI.

Outros vistos:

Tier 1 (general) – Visto por sistema de pontos, entretanto, por alguma, razão extintos desde 2015. Até 2018, estará em validade para quem quiser prolongar sua estada estando sob este visto. Clique AQUI para saber mais.

Tier 1 (investor) – O visto de investidor. Para conseguir este visto, o indivíduo tem que possuir uma conta bancária recheada e o mínimo de £2 milhões para investir no país. Existem algumas características deste visto que podem ser encontradas AQUI.

Tier 2 – O famoso visto de trabalho. Este é concedido quando o país tem demanda de determinados profissionais e necessita buscar no exterior a complementação de mão de obra. Existe uma lista dessas profissões que são importantes para o país e estão em falta no Reino Unido. Sendo assim, existem sponsors (literalmente “patrocinadores”, empresas responsáveis por aqueles que contratam), para pagar o seu visto. É possível achar a lista das profissões em falta AQUI.

Esse visto não é tão fácil assim de conseguir, pois é necessário estar na lista oficial do país e o empregador deve provar para o governo que não consegue achar um profissional equivalente nos quatro países que compõem o Reino Unido. Isso comprovado, eles partem para a segunda prioridade que é a Europa continental e que fazem parte do Espaço Econômico Europeu e, depois, entra qualquer outra nacionalidade. Contudo, as engenharias e a enfermagem estão aí para mostrar que não é tão difícil assim e que dá para conseguir o tão sonhado sponsor para seu visto.

Tier 4 – É o visto de estudante. Para aqueles que querem fazer cursos com duração maior de seis meses (que é a máxima duração que nosso visto de turista nos permite ficar) ou até cursar uma faculdade em um dos quatro países.

Tier 5 – Visto de trabalho temporário que agrega uma gama de opções, desde trabalho voluntário até funções religiosas. Este visto tem duração de até 1 ano e necessita um sponsor, que, por sua vez, tenha certificados registrados no governo, assim como no visto Tier 2.

Charity work visa – Visto para trabalho voluntário – Clique AQUI.

Government authorised exchange – Livremente traduzido como “Intercâmbio governamental autorizado”, Veja AQUI.

Creative and sporting – Visto para artistas, atletas, etc – Clique AQUI.

International agreement – Visto para serviços governamentais e/ou diplomáticos. Clique AQUI.

Religious works – Serviços religiosos – Clique AQUI.

Youth mobility scheme – este visto é restrito a algumas nacionalidades e a Brasileira não está incluída nelas, mas se quiser saber mais, clique AQUI.

Além desses vistos, existem aqueles para pessoas que casam com cidadão britânico e esses são bem complicadinhos; são muitos passos. São os Family visas. Precisa primeiro de um visto para se unir ao seu familiar – o conhecido visto de noivo – Clique AQUI.  Depois, você requere o visto para poder permanecer no país – Clique AQUI – Visto que você requere após o casamento ou união civil.

Todos os dados acima foram retirados do site oficial do governo, que, reafirmo, ser a única fonte confiável para qualquer dúvida. Sempre que procuramos coisas na internet, é para nos ajudar a esclarecer, mas aconselho a busca por sites oficiais ou ligar para os órgãos competentes, para ter certeza absoluta e não correr riscos de enviar documentos errados ao requerer um visto.

Espero ter ajudado.

Texto originalmente publicado na minha participação mensal no blog Brasileiras pelo Mundo.

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Quero morar na Inglaterra. E agora?

  1. Boa tarde, como vai Juliana!? Gostaria da sua ajuda, se possível…
    Meu marido recebeu uma proposta de emprego pela Britannia Construction Limited / Britannia House / Staverton Technology Park em Cheltenham.
    Não consegui muitas informações sobre a cidade, como escolas e moradias…e se um salário de +/- 41 mil /ano seria suficiente. A empresa oferece moradia por um ano, ainda estamos tentando tirar algumas dúvidas sobre as questões de moradia e desconto dos impostos etc…
    Ficarei muito agradecida se puder ajudar, será um decisão difícil já que temos duas filhas de 8 e 5 anos.
    Obrigada
    Paula

    Curtir

    1. Ola Paula,
      41 mil/ano é um bom salario aqui na Inglaterra, mas não sei como é o custo de vida em Cheltenham. Aconselho a entrar em um grupo no facebook chamado União Londres, que você pode conhecer pessoas desta cidade que irão falar um pouco sobre a sua cidade.
      A escola para seus filhos vc pode garantir assim que chegar, levando o passaporte delas no council (prefeitura) local. As duas já estão em idade escolar.
      Você pode ver moradia pelo site do rightmove.co.uk é o maia usado por aqui.
      E os impostos tem no site do governo como fazer o calculo, pois varia de acordo com o salário. Seus filhos tbm terão direito ao chamado Child Benefit que é dado a toda criança residente no UK.

      Espero ter ajudado,

      Juliana

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s